Quem é o Líder moderno?

por Elmano Nigri

Imagine a seguinte situação: você chega  ao seu local de trabalho e em vez do

computador, uma máquina de escrever está  em sua mesa. O telefone celular

foi substituído pelo pager, mais conhecido como bip. E para conferir quem ligou

na sua ausência, você checa os recados na secretária eletrônica.

 

Essa cena surrealista dificilmente será vista no mundo atual.  Pertence ao

universo da imaginação. Até o saudosista mais empedernido há de reconhecer

que não é possível viver sem a contribuição da modernidade. Se os exemplos

acima são risíveis, a graça desaparece quando aplicamos o conceito de

modernidade ao estilo de liderança. Existem muitos líderes atuando em 2016

com ideias e posturas anacrônicas. Líderes que vivem na era dos Jetsons, mas

pensam e agem como se estivessem na era dos Flinstones.

 

Mas, afinal, qual a diferença da liderança moderna com aquela exercida

décadas atrás? O que é um líder moderno?

 

Em primeiro lugar, gostaria de definir o que entendo por modernidade. Para

isso, vou fazer uso das sábias palavras do saudoso jornalista Joelmir Betting.

“Modernizar não é sofisticar. Modernizar é simplificar”. Ser moderno é ser

capaz de tornar as coisas simples. Um líder antenado com seu tempo,

empenha-se para que todos os processos na sua empresa sejam

descomplicados. Ser simples em muitos casos significa ser óbvio. E um líder

não pode ter medo de ser óbvio. Ser simples nem sempre é sinônimo de ser

fácil.  A simplicidade dá trabalho. E incomoda as pessoas que estão

acostumadas a criar dificuldades para vender facilidade. Um líder que simplifica

consegue fazer com que as pessoas utilizem seu tempo fazendo aquilo que

realmente importa, tornando-as mais produtivas. E isso é uma conquista

gigantesca.

 

Outra marca de um líder moderno é a coerência. A época do “faça o que eu

digo, mas não faça o que eu faço” está definitivamente encerrada. De um líder

espera-se conhecimento acadêmico, firmeza nas decisões, bom

relacionamento interpessoal, mas, sobretudo, harmonia entre suas palavras e

suas ações. Um líder que prega comprometimento, mas é o último a chegar à

empresa e o primeiro a ir embora está afirmando com a teoria e desmentido

com a prática.  Uma liderança incoerente não inspira respeito. E um líder que

não é respeitado, na verdade, já deixou de liderar.

 

Um líder moderno  é aquele que pensa nas pessoas. E as valoriza. Os lideres

vivem pedindo para os funcionários vestirem a camisa da empresa, mas

poucos se preocupam em saber se a camisa ficou apertada demais ou muito

folgada.  E é isso que diferencia os líderes ultrapassados dos líderes

modernos: tratar cada funcionário como se ele fosse o único.   Em um passado

nem tão distante, projetos e resultados eram considerados as coisas mais

importantes em uma corporação.  O líder moderno continua tendo metas

ousadas, buscando os melhores resultados, mas sabe que o fator humano é o

bem mais valioso de uma empresa. Um líder em compasso com a atualidade é

aquele que valoriza a individualidade e promove a integração.  O bom gestor

de pessoas incentiva todos os funcionários a vestir a camisa da empresa, cada

um de acordo com seu manequim, mostrando a unidade na diversidade.

 

Há muitas outras características do líder moderno: paixão pelo que faz,

autoconhecimento, capacidade para adaptar-se às mudanças e muito mais. O

tema é amplo e não se esgota nesta coluna. Mas algo imprescindível ao líder

moderno é a conjugação do sonhar com o fazer, do desejo com a realização.

Ou nas palavras de Lance Morrow: “Líderes tornam as coisas possíveis.

Líderes excepcionais as tornam inevitáveis”.

Seja um excepcional líder moderno.